quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

GRAÇA


Como é que eles são a porção do Senhor? Por meio da soberana escolha dele. O Senhor os escolheu e colocou seu amor sobre eles. O Senhor fez isso completamente, à parte de qualquer bondade que previu neles. O Senhor teve misericórdia de quem Ele mesmo quis ter misericórdia e ordenou para a vida eterna um grupo de pessoas eleitas. Portanto, eles são a porção do Senhor por meio de sua eleição espontânea. Eles são do Senhor também por aquisição. O Senhor os comprou e pagou por eles até o último centavo. Não pode haver qualquer contestação a respeito do direito do Senhor. A porção do Senhor foi completamente redimida, não por meio de coisas corruptíveis, como ouro ou prata, e sim por meio do precioso sangue de Cristo (ver 1Pedro 1.18,19). Não existem demandas judiciais que podem ser apresentadas por reivindicadores que se opõem. O preço foi pago diante de toda a corte, e a igreja pertence ao Senhor para sempre. Veja a marca de sangue em todos os eleitos. Ela está invisível aos olhos humanos, mas é conhecida por Cristo, pois o “Senhor conhece os que lhe pertencem” (2Tm 2.19). Ele não esquece nenhum daqueles que redimiu dentre os homens. O Senhor conta as ovelhas em favor das quais deu a sua vida e lembra-se muito bem da igreja em favor da qual Ele se entregou. Eles são do Senhor também por conquista. Que luta o Senhor teve conosco, antes de sermos vencidos! Quanto tempo o Senhor teve de sitiar nosso coração! Quão frequentemente Ele nos enviou termos de rendição, mas havíamos trancado nossos portões e fortificado nossas muralhas contra Ele. Ele colocou sua cruz contra a parede e escalou nossas trincheiras, plantando em nossas fortalezas a bandeira vermelha de sua onipotente misericórdia! Sim, certamente nos tornamos cativos conquistados pelo amor onipotente. Portanto, havendo sido eleitos, comprados e subjugados, os direitos de nosso Senhor são inalienáveis. Regozijamo-nos com o fato de que nunca seremos de nós mesmos. Desejamos, dia após dia, fazer a vontade dele e revelar a sua glória.
Charles H. Spurgeon,


quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

  1. Creio que Deus requer de mim, sob o evangelho, antes de tudo, que por uma verdadeira percepção do meu pecado e miséria e uma compreensão de sua misericórdia em Cristo, devo separar-me com dor e ódio do pecado e, receber e descansar somente em Jesus Cristo para salvação; de tal maneira, que unido com ele, eu possa receber o perdão por todos os meus pecados e ser aceito como justo ante os olhos de Deus somente pela justiça de Cristo imputada a mim e recebida pela fé somente: e unicamente desta maneira e nada mais, eu creio que sou recebido dentro do número e tenho o direito a todos os privilégios dos filhos de Deus.



quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Ano Novo: tempo de renovar a esperança!


" Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas.Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não o percebeis?Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo". - Is. 43,18-19
O Ano está findando. A festa se aproximam e naturalmente as pessoas, instituições, igrejas e grupos,
dos mais diversos, começam a pensar e a movimentar-se no intuito de comemorar o Ano Novo.
Vivemos uma crise de ajustamento a uma economia globalizante, que provoca ondas de desemprego e violência por todos os lados, destruindo o sonho de muita gente.
E o texto do livro de Isaías, aqui mencionado, surge num contexto de desesperança, desconfiança e frustração, por causa do cativeiro babilônico, e nos traz algumas pistas pastorais:
"Não vos lembreis das coisas passadas..." . O passado não deve ser ignorado, mas deve ser visto na expectativa de mudança. O profeta valorizou sua história e compreendeu como um instrumento de capacitação para responder aos desafios de um presente desfavorável. Como o profeta, temos que infundir esperança e novas perspectivas, apesar do caos que vivemos.
"Eis que faço coisa nova..." O Senhor é Deus de novidade de vida. Essa condição não se concretiza sem uma confiança inabalável na condução divina da história. Assim como o profeta pregou para o povo de Israel do cativeiro, precisamos ter os olhos da fé abertos para a grande oportunidade que o momento presente nos coloca, oferecer uma mensagem de ano novo que desperte esperança, ainda que vivenciemos uma dura realidade.
"...porei água no deserto..." A frase está no futuro. Isto nos proporciona ver com os olhos da esperança, e sonhar com dias melhores.
Falar de Ano Novo é, portanto, renovar a esperança e reabastecer-se de ânimo para não se deixar envolver pelas circunstâncias e com isso, abandonar a luta, pois o texto de Isaías renova a esperança e sua releitura é uma necessidade contínua.
Feliz Ano Novo abençoado.  #FELIZ2018

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

DIA  DA BÍBLIA

no 2º domingo, de dezembro, é comemorado o dia da Bíblia. Esta data é uma excelente ocasião para avaliarmos qual a importância que damos a Palavra de Deus em nossas vidas, qual a influência que permitimos que ela exerça no nosso dia a dia, em nosso comportamento e em nossas decisões. Alguns lidam com a Bíblia como lidam com um amuleto de sorte, a deixam aberta em um texto que profere bênçãos, normalmente o Salmo 91 e com esta atitude esperam que todas aquelas palavras se cumpram de forma mágica em suas vidas. Precisamos entender que a benção está em praticar a Palavra (Mt. 7.24-25) e não usá-la como um amuleto da sorte ou mesmo recitar seus textos como palavras mágicas, sem nenhuma intenção de colocar imediatamente em prática o que contém em suas páginas. Os praticantes desta Palavra irão usufruir de suas bênçãos e estarão sempre de pé, mesmo em tempos de crise, estes são como casas firmadas na rocha. O convite é para sermos praticantes e não apenas ouvintes. “Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando o, será feliz naquilo que fizer”. (Tiago 1:25) Outros usam a Palavra de Deus como instrumento de consulta instantânea, buscando respostas bem objetivas, um sim ou um não, para alguma decisão urgente que precisam tomar. Assim, sem nenhuma preocupação com o contexto, abrem as Escrituras, apontam o dedo aleatoriamente para algum versículo e tomam aquele texto como uma resposta de Deus para a questão proposta. Sobre isto precisamos lembrar que as maiores heresias foram tiradas da própria Bíblia, usando textos isolados, extraídos violentamente do seu contexto. O contato diário com a Bíblia como um todo, a intimidade adquirida ao longo do tempo com esta santa Palavra, sem dúvida nenhuma, irá nos orientar em todas as questões da vida, mas ela não pode ser lida como o horóscopo do dia. “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho”. (Salmos 119:105). “Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti”. (Salmos 119.11) Imagino que nunca tivemos tanto acesso a Bíblia e ao mesmo tempo ela nunca foi tão esquecida. Existem Bíblias na internet, nos celulares, em áudio, em diversas versões, Bíblia do Bebê, da Mulher, do Homem, mas apesar de todas estas facilidades, especialmente em um país livre como o nosso, não damos a devida importância a esta poderosa Palavra, não separamos um tempo tranquilo para ler, meditar, aprender, ouvir Deus falar. Certamente este é um dos principais motivos de muitas derrotas pessoais e ao mesmo tempo da baixa qualidade de crentes que vemos hoje por todos os lados em nossa nação. “Meu povo foi destruído por falta  de conhecimento” Oséias 4:6a) Que possamos aproveitar muito bem este dia em que é comemorado o dia da Bíblia, para voltarmos a ela com paixão e ardor, deixar que sua poderosa mensagem influencie todas as áreas das nossas vidas e nos dispor a pratica-la imediatamente a cada direção que Deus nos der através desta Santa Palavra. Algumas coisas só são geradas em nós através da busca sincera pela Palavra de Deus, não há atalhos para isto. A Palavra gera fé: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. (Romanos 10.17). Gera vida: “as palavras que eu vos disse são espírito e vida”. (João 6:63b). Nos santifica: “Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade”. (João 17.17). Ela é eterna: “Mas a palavra do Senhor permanece para sempre”. (1 Pedro 1:25). Leia esta Palavra, medite nela de dia e de noite, pratique em todo o tempo, você não irá se arrepender. “Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam”. (Lucas 11.28)


NATAL




Natal é prostrar-se diante da ação misteriosa e inescrutável da trindade. Natal é prostrar-se diante do mistério da encarnação do próprio Deus, Natal é adorar o Deus Triúno pelo sublime plano da Salvação que vem da Cruz, Natal é adorar o Rei dos reis e Senhor dos senhores, diante do qual todo o joelho se dobrará. Mais do que um feliz Natal desejo um Natal cheio de adoração ao Deus Triúno


quinta-feira, 23 de novembro de 2017

DIA DE AÇÕES DE GRAÇA

 
Apresentemo-nos diante dele com ações de graças, e celebremo-lo com salmos de louvor. Porque o Senhor é Deus grande, e Rei grande acima de todos os deuses.
 Salmo 95:2-3
há muitos motivos para agradecer a Deus. Ele é tão bondoso, tão misericordioso para conosco. E nos abençoa. E supre as nossas necessidades. E nos protege. E nos guarda, a nós e aos nossos. E encaminha a solução dos problemas antes que os percebamos. E ouve as nossas súplicas. E se compadece de nós. E não olha para a nossa imperfeição. E suas bênçãos, felizmente, nem são proporcionais ao nosso merecimento. Antes, excedem e vão além do que ousaríamos pedir ou esperar.
Por isso, seja o nosso primeiro motivo de gratidão o seu amor, o seu imenso amor para conosco.
Agradeçamos a Deus com alegria, pela segurança de que Ele é o nosso refúgio e fortaleza. O Senhor, que tudo criou, está perto, está próximo, está presente, ao alcance dos seus filhos e filhas. E é por nós. Louvemos ao Senhor, neste e em todos os dias de nossa vida, porque O Senhor é bom e a sua misericórdia dura para sempre.”
Que este Dia Nacional de Ação de Graças seja para nós um dia para reconhecermos as bênçãos de Deus e para agradecermos a Ele por todas essas bênçãos.
“Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. (1 Tessalonicenses 5:18)